24 de março de 2017

Nem espirros nem tosses cá em casa!

Esta manhã, ao entregar a minha mais nova de 3 anos na creche, a auxiliar que a recebeu perguntou-me se havia algum recado de doença, virose ou febre. 
Esta semana já me havia perguntado o mesmo várias manhãs, mas só hoje me apercebi que, de facto, esse era até ao ano passado o meu dia-a-dia. Com 3 filhos em casa e as duas mais novas na creche, estava sempre alguém doente e além de estarmos sempre no médico a enfiar antibióticos às crianças, também apanhávamos as suas viroses e gripes. Era uma festa constante…

Vim para casa a pensar o que terá mudado este ano. Apenas uma das minhas filhas esteve doente da garganta em Novembro e até hoje nunca mais se ouviram espirros nem tosses cá em casa. De facto, e quem tem filhos pequenos percebe o que digo, isto é um recorde incrível.

Pois bem… na verdade existem mesmo razões que contribuíram para tal. Com a minha doença, comecei a ser mais alerta e a fazer mais pesquisa sobre o que consumimos e foram bastantes as alterações cá em casa.

A primeira mudança foi o pequeno-almoço. Mesmo que existam alguns dias em que se deixe comer coisas menos boas, o que interessa é alterar a ingestão constante de alimentos processados. Sumo natural, ovos mexidos com Moringa e vegetais e frutinha. E todos vão aderindo aos poucos.

Depois, foram os lanches que vão para a escolinha. A minha Ema bem me diz que os amigos levam sempre os palitos da vaca que ri e os pãezinhos processados com pepitas de chocolate… temos pena… e ela já se habituou ao seu lanchinho. Leva sempre pãozinho do dia com doce preparado em casa, fruta, bolachinhas feitas pela mãe e um iogurte. O iogurte é o menos saudável, mas lá lhe cedo alguma coisita ;)
A Noa também leva um iogurte para escola, biológico e ela adora.

Outra grande alteração de hábitos cá em casa foi a ingestão de leite. Eu não bebo leite há mais de 10 anos, mas os meus filhos e marido ainda o consumiam. Felizmente, já não se consome leite de vaca cá em casa há mais de 8 meses. O meu mais velho foi o que torceu mais o nariz, mas quando lhe expliquei como é obtido o leite, como sofrem os animais e como não é nada saudável, ele aderiu com a consciência tranquila e um sorriso na cara.

Ao nível global, tentamos não comprar comida processada e produtos biológicos. E tentamos comer coisas da natureza, naturais… e fugimos das farinhas de trigo processadas também.

Por fim, também alterámos vários produtos de higiene cá em casa. Não se usam géis de banho com cancerígenos, tenho feito o meu gel de banho com uma base biológica e faço os meus sabonetes. E o champô e o creme para o corpo também é biológico. 
Existem muitos websites onde podemos comprar bons produtos e a questão monetária já não se justifica hoje em dia. Sinceramente, parece-me uma desculpa esfarrapada para gente preguiçosa que não percebe que mudar de hábitos pode mudar a sua saúde e contribuir para indústrias mais amigáveis. Eu sei que não posso comprar tudo biológico, eu sei que não é assim tão barato. Mas é uma opção de vida, são prioridades e escolhas que temos de fazer para nós, para os nossos filhos e para o planeta e o futuro da humanidade.

Para além da nossa saúde, existem muitas consequências para o planeta e animais na produção desenfreada que se faz atualmente de produtos tóxicos que, infelizmente, são utilizados e consumidos diariamente pela maioria das pessoas.

Não faz sentido não comeres carne, mas teres no teu wc gel de banho industrial e sabonete líquido para lavar as mãos … são feitos de gordura animal, vai dar ao mesmo.

Não estou a querer influenciar ninguém. Apenas quero dizer que é preciso estarmos mais informados sobre a origem e a composição do que consumimos. Como se produziram as coisas e o que foi preciso fazer para obtermos tal produto…

Espero continuar a fazer mais alterações e a passar bons ensinamentos aos meus filhos. 

Sem comentários:

Enviar um comentário